Comitiva em defesa da CASSI

Comitiva em defesa da CASSI

A Afabbes  deu início, no último dia 12, a uma série de reuniões para debater a sustentabilidade da Cassi e defender os direitos de seus associados. A primeira reunião aconteceu na AABB de Linhares e contou com a presença de funcionários da ativa e aposentados.
Estiveram presentes o gerente da Cassi no ES, Ricardo Alexandre Ruz e representantes da  AFABB-ES, do Conselho de Usuários da CASSI, da ANABB e do Sindibancários. A comitiva segue para Venda Nova do Imigrante, Colatina e Cachoeiro do Itapemirim, encerrando com uma reunião na GEPES, em Vitória no dia 12/06.
A diretora social e representante do conselho de usuários da CASSI, Maria da Penha Costa Calmon Rodrigues abriu os trabalhos com uma retrospectiva das mudanças sofridas pela Cassi ao longo do tempo e que culminaram com a atual crise do plano de saúde dos funcionários do Banco do Brasil. “A Cassi tem 12 mil usuários só no ES. Se formos chamados para alterar o Estatuto precisamos estar devidamente informados do que se passa para decidirmos com responsabilidade”, afirma Penha.
A Cassi encerrou 2014 com déficit de R$ 174
milhões. A gestão do Plano de Saúde é feita de forma compartilhada em que o BB indica dois gestores e os usuários elegem outros dois.

O impasse

O BB propôs, em dezembro de 2014, aumentar em 50% o valor das mensalidades dos usuários, o que totalizaria uma capitalização de  R$ 300 milhões ao Plano. O BB propôs ainda cortes em  diversos direitos dos associados, como a suspensão de programas de cuidados (Atenção aos Crônicos e Assistência Farmacêutica) e aumento de  coparticipações nas consultas, exames e até franquias de R$1.500 nas internações, o que resulta em prejuízo e quebra da solidariedade prevista nos estatuto da entidade.
Para se alcançar o equilíbrio e a sustentabilidade, os gestores eleitos e as entidades em defesa da Cassi em todo o país defendem o Modelo de Atenção Integral à Saúde, baseado na Estratégia Saúde da Família, conhecido como Sistema Integrado e referência mundial.
Para que as iniciativas estratégicas estruturantes sejam implantadas é necessário que o Banco do Brasil faça duas contribuições extraordinárias do mesmo valor, R$ 300 milhões, em 2015 e 2016, o que já garantiria uma economia de R$ 165 milhões até 2017.

Fonte: Boletim Informativo | nº 10 – Março/Abril 201/
www.contrafcut.org.br

COMISSÃO DE ENTIDADES
EM DEFESA DA CASSI

PRÓXIMAS REUNIÕES:

Colatina   dia 19/05 terça-feira às 17 horas

Local: Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Colatina/ES perto do 8º Batalhão – Centro

Cachoeiro do Itapemirim dia 20/05 quarta-feira às 17 horas

Local: AABB

Vitória dia 12/06  sexta-feira às 16:30

Local: auditório da GEPES – Rua Alexandre Buaiz edifício Work Center – Enseada do Suá- rua lateral da Assembléia Legislativa do Estado

Compareçam às reuniões, precisamos mostrar a nossa
 preocupação e a nossa força.

Você faz parte do sistema.  Você faz parte do problema.

A união é tudo!

Posts Relacionados

Deixe seu comentário